CasaUncategorizedPesquisa brasileira publicada na Nature Communications abre caminhos para marcadores prognósticos robustos no câncer de boca

Pesquisa brasileira publicada na Nature Communications abre caminhos para marcadores prognósticos robustos no câncer de boca

Por Alan Roger, estomatologista, UNICAMP 

 

Pesquisa coordenada pelo Centro Nacional de Pesquisas em Energia e Materiais (CNPEM), com participação da FOP-UNICAMP e do ICESP-FMUSP, indica marcadores de prognóstico que servem de parâmetro para avaliar a gravidade do câncer oral. A descoberta abre caminho para ajudar na tomada de decisão clínica sobre tratamentos mais apropriados.

O carcinoma espinocelular, tipo mais comum de câncer bucal, é o tumor maligno mais frequente da região da cabeça e pescoço. A cada ano são diagnosticados cerca de 300 mil novos casos em todo o mundo, com taxa de mortalidade de 145 mil pacientes no mesmo período.  O tratamento dessa neoplasia é desafiador porque as respostas aos tratamentos convencionais apresentam uma variação muito grande de resultados. Para se ter uma ideia, as taxas de recorrência dos tumores podem variar entre 18 e 76%.

Estudos coordenados pelo CNPEM em parceria com o Programa de Pós-Graduação em Estomatopatologia da Faculdade de Odontologia de Piracicaba e os Serviços de Odontologia Oncológica e de Oncologia Clínica do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (ICESP) –entre outras instituições de pesquisa do Brasil e do exterior– com apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), contribuíram para identificar, quantificar e compreender a relação entre proteínas, progressão destes tumores e tratamento.

O mais recente resultado obtido por essa colaboração acadêmica, tema de artigo publicado no prestigioso periódico Nature Communications, foi a identificação de marcadores de prognóstico robustos a partir do mapeamento de proteínas observadas em 120 amostras de tecidos tumorais da língua de 20 pacientes que foram acompanhados por 5 anos. Os dados foram confirmados em aproximadamente 800 casos de tecidos e em 120 amostras de saliva de 40 pacientes oncológicos. A publicação destaca como a combinação de fases de descoberta e verificação em diferentes tipos de amostras resultou em maior confiabilidade na validação dos alvos, em outras palavras, a correlação entre os níveis da proteína e a gravidade da doença.

Link para acessar o artigo completo: https://www.nature.com/articles/s41467-018-05696-2

De acordo com a coordenadora do estudo, Dra. Adriana Paes Leme, que trabalha no Laboratório Nacional de Biociências (LNBio) e atua como Professora Permanente do Programa de Pós-Graduação em Estomatopatologia da FOP-UNICAMP, entre os objetivos dos estudos futuros se pretende compreender os mecanismos de ação das proteínas distribuídas pelas diferentes áreas do tumor. “O que buscamos saber também é se a presença dessas proteínas é a causa ou o resultado de processos”.

A identificação de marcadores ou assinaturas moleculares é fundamental para que oncologistas consigam superar as limitações dos exames clínicos e tenham parâmetros seguros para estabelecer estratégias de tratamento mais personalizadas e eficientes. A equipe de pesquisadores, que já havia publicado uma série de resultados anteriores em periódicos científicos internacionais com seleta política editorial, continua colaborando nesse campo do conhecimento e pretende, nos próximos anos, desenvolver e validar um biosensor com potencial para identificar as assinaturas moleculares descritas pelos pesquisadores em questão, contribuindo para o diagnóstico precoce e a melhor previsibilidade do prognóstico do câncer de boca.

Dentre os diversos pesquisadores de centros do país e do exterior que participaram do estudo em questão e que atuaram como co-autores da publicação em questão estão egressos do Programa de Pós-Graduação em Estomatopatologia (Carolina Carneiro Soares Macedo, César Rivera, Iris Sawasaki-Calone, Ana Carolina Prado Ribeiro, Thaís Bianca Brandão, Wilfredo Alejandro González-Arriagada, Priscila Campioni Rodrigues, Sabrina Daniela da Silva) e os Professores do Programa de Pós-Graduação em Estomatopatologia Adriana Franco Paes Leme, Alan Roger dos Santos Silva, Edgard Graner, Ricardo Della Coletta, Tuula Salo e Márcio Ajudarte Lopes.

Powered by themekiller.com anime4online.com animextoon.com apk4phone.com