top of page

Tabagismo associado ao consumo de bebida alcoólica pode aumentar em até 100 vezes o risco

Tabagismo associado ao consumo de bebida alcoólica pode aumentar em até 100 vezes o risco de desenvolver a doença




O câncer de cabeça e pescoço poderia ser evitado em 40% dos casos. Isso porque as principais causas estão relacionadas ao tabagismo, associado ao consumo excessivo de bebida alcoólica e à infecção pelo vírus HPV (Papilomavírus Humano).


O câncer de cabeça e pescoço inclui aqueles que se desenvolvem na cavidade oral, faringe, laringe, cavidade nasal.


Outro dado alarmante é que no Brasil, cerca de 80% dos casos são diagnosticados em fases avançadas da doença, o que traz menores chances de sucesso no tratamento e, consequentemente, aumenta o índice de mortalidade.


O tabagismo combinado com a bebida alcoólica


Ter o hábito de fumar e consumir frequentemente bebida alcoólica aumenta os riscos de desenvolver o câncer de cabeça e pescoço. Dados do INCA mostram que 70% dos casos dessa neoplasia têm o tabagismo e o álcool como causas.


Para se ter uma ideia, o consumo de bebida alcoólica associado ao hábito de fumar pode aumentar em até 100 vezes o risco de desenvolver a doença.


Por isso, as principais formas de prevenção são não fumar nenhum produto que contenha tabaco e evitar consumir bebida alcoólica. Além disso, se vacinar contra o HPV, a vacina está disponível gratuitamente nos postos de saúde para meninas de 9 a 14 anos e meninos de 11 a 14 anos. Para esse grupo são recomendadas 02 doses, com intervalos de 06 meses entre elas. Além desse grupo, ela também é recomendada para homens e mulheres até 45 anos portadores do vírus HIV, transplantadas de órgãos sólidos, medula óssea ou em tratamento oncológico. Nesse caso, são recomendadas 03 doses.

bottom of page