top of page

TUDO SOBRE O CÂNCER
DE CABEÇA E PESCOÇO

O câncer de cabeça e pescoço engloba todos os tumores malignos que se desenvolvem na boca, lábios, faringe, laringe, nas fossas nasais, nos seios paranasais, nas glândulas salivares e na tireoide.

 

Os tumores cerebrais não fazem parte do cuidado do especialista em câncer de cabeça e pescoço e sim à área de neuro-oncologia. 

post_curtir_janeiro (1)_edited.jpg
  • FATORES DE RISCO
    O câncer de cabeça e pescoço é mais comum a partir dos 40 anos. Os homens têm 2 a 3 vezes mais chances de desenvolver câncer de cabeça e pescoço do que as mulheres, no entanto, a incidência de câncer de cabeça e pescoço em mulheres está aumentando. De acordo com dados do INCA – Instituto Nacional do Câncer, 80% dos diagnósticos da doença acontecem em fumantes ou ex-fumantes e o consumo de bebida alcoólicas está presente em 50% dos casos. Boa parte desses diagnósticos ocorrem em razão de alguns hábitos de vida que são prejudiciais à saúde e, para se ter uma ideia, cerca de 40% dos casos de câncer de cabeça e pescoço poderiam ser evitados com a mudança desses hábitos. Dentre os principais fatores de risco que podem influenciar o desenvolvimento do câncer de cabeça e pescoço estão: Tabagismo: os fumantes têm risco maior do que os não fumantes de desenvolveram a doença. Uma pessoa que fuma tem 15 vezes mais probabilidade de desenvolver câncer de cabeça e pescoço do que um não fumante. Bebida alcoólica: o consumo regular de bebidas alcoólicas aumenta o risco de desenvolver a doença. Papilomavírus Humano (HPV): a infecção pelo Papilomavirus Humano – HPV está associado ao desenvolvimento de câncer de garganta, base da língua e amígdalas, também conhecido como câncer de orofaringe.
  • SINTOMAS
    Dentre os sintomas mais comuns do câncer de cabeça e pescoço estão: ferida na boca que não cicatriza manchas esbranquiçadas na boca rouquidão nódulo palpável no pescoço dor de garganta que não melhora dor ou dificuldade para engolir ou respirar sangramento ou secreção persistente pelo nariz. dor no ouvido dores de cabeça e tosse persistente. Ao perceber algum desses sinais que persista por mais de três semanas, busque avaliação médica ou do dentista (no caso de ferida na boca) para que sejam realizados os exames necessários para o diagnóstico preciso.
  • PREVENÇÃO
    O câncer de cabeça e pescoço poderia ser evitado em 30% dos casos com a mudança de alguns comportamentos. Entre eles: Não consumir nenhum produto derivado do tabaco (cigarro, narguilé, cachimbo, charuto, cigarro de palha, vaper, entre outros) Não consumir bebida alcoólica em excesso Vacinar contra o Papilomavírus Humano – HPV, infecção transmitida durante a relação sexual, inclusive oral. O HPV é um dos principais fatores de risco para o desenvolvimento do câncer de cabeça e pescoço, principalmente de orofaringe. A prevenção começa na infância com a vacina tetravalente contra o HPV que previne alguns tipos de vírus que causam a infecção. A vacina está disponível gratuitamente nos postos de saúde para meninas entre 9 e 14 anos e meninos entre 11 e 14 anos; e homens imunossuprimidos de 9 a 26 anos e mulheres de 9 a 45 anos. (acho que teve mudança recente desta indicação – precisamos conferir no site do ministério) Adotar uma dieta equilibrada rica em frutas, verduras, legumes, fibras e cereais. Manter o peso adequado Praticar atividade física regularmente Usar preservativo durante a relação sexual Não se expor ao sol sem protetor solar, inclusive nos lábios Conhecer e estar atento aos possíveis sintomas e procurar avaliação médica em caso de suspeita é fundamental. Com diagnóstico precoce, as chances de sucesso no tratamento são superiores a 90%.
info-cp_v2 (3).png

Quando procurar um médico especialista em Cabeça
e Pescoço?

O médico cirurgião de cabeça e pescoço é um especialista no diagnóstico e tratamento dos tumores benignos e malignos que acometem a região da face, como as fossas nasais, seios paranasais, boca, lábios, faringe, laringe, tireoide, glândulas salivares, paratireoide. Nem sempre é ele quem, em um primeiro momento, avalia as alterações nessas regiões.

 

Geralmente isso acontece com um dentista, um endocrinologista um otorrinolaringologista, um dermatologista e até mesmo um clínico geral, mas se for confirmada a suspeita de tumor, o paciente deverá ser encaminhado para essa especialidade.

 

O paciente também pode procurar o médico de cabeça e pescoço diretamente, sem necessariamente ter antes que passar por um médico generalista.

É importante lembrar que a especialidade de Cabeça e Pescoço não trata das doenças cerebrais, como dores de cabeça, tumores cerebrais, aneurismas etc. Nesses casos, a indicação é o atendimento de um médico neurologista. Assim também acontece com dores no pescoço que devem ser avaliadas pelos ortopedistas e desvios de septo nasal, zumbidos no ouvido pelo Otorrinolaringologista.

 

É preciso estar sempre atento aos sintomas dos tumores de cabeça pescoço e, se observar alguma alteração, buscar a avaliação médica imediatamente. Alguns sinais importantes são; nódulos no pescoço, rouquidão por mais de três semanas, dor ou dificuldade para engolir, feridas na boca, lábio ou língua que não cicatrizam.

Diagnóstico

A primeira etapa a ser realizada para investigação diagnóstica é a avaliação do histórico clínico e físico do paciente, no qual o médico vai examinar o órgão em questão. Exames de imagem como a tomografia computadorizada, ultrassonografia, radiografia, ressonância magnética, PET CT oncológico também podem ser solicitados – o médico avaliará qual melhor exame para cada caso.

 

Porém, a confirmação do câncer somente é possível após a realização de uma biópsia, retirada de um pequeno fragmento da lesão para avaliação microscópica. Existem vários tipos de biópsia e a indicação vai depender do local do tumor.

 

Após a análise da biópsia é emitido um laudo anatomopatológico com todas as informações sobre as características do câncer para que seja possível determinar a melhor conduta de tratamento

Tratamento multidisciplinar

Como parte do tratamento dos tumores da região da cabeça e pescoço pode ser necessário realizar uma cirurgia e, dependendo do estágio da doença, esse procedimento pode trazer algumas limitações estéticas, físicas e funcionais ao paciente, ou ser necessário ainda complementar o tratamento com radioterapia ou quimioterapia. Isso tudo requer um acompanhamento pós-cirúrgico multidisciplinar, por isso, os cirurgiões de cabeça e pescoço trabalham de forma integrada com outras especialidades médicas, como a oncologia clínica, radioterapia, estomatologia, odontologia, fonoaudiologia, psicologia, fisioterapia, nutrição. É a atuação integrada desse time que trará os melhores resultados para o paciente.

Quanto mais precoce for o diagnóstico do câncer de cabeça e pescoço maiores são as chances de sucesso no tratamento.

bottom of page