top of page

5 FATOS SOBRE O CÂNCER DE TIREOIDE

A tireoide é uma glândula que se localiza na parte frontal do pescoço, abaixo da região conhecida como pomo de Adão e tem a forma de uma borboleta, com 2 lobos – o lobo direito e o lobo esquerdo – ligada por uma região chamada istmo. Ela é responsável por produzir hormônios que atuam na regulação do metabolismo do organismo, influenciam no desenvolvimento do corpo e na atividade do sistema nervoso.




O câncer pode se desenvolver nessa região. Nódulos na tireoide são muito comuns, a maioria deles são benignos, mas em alguns casos o diagnóstico (biópsia) comprova a malignidade do tumor.

 

Veja os 5 fatos sobre o câncer de tireoide que você precisa saber:



1 – O câncer da tireoide é um tumor frequente da região da cabeça e pescoço, sendo três vezes mais comum em mulheres do que nos homens. Pode ocorrer em qualquer idade, mas é mais incidente nas mulheres acima dos 40 e homens acima dos 60 anos. O INCA – Instituto Nacional do Câncer estima que em 2021 serão 13.780 novos casos da doença.


2 – Os tipos de câncer de tireoide mais comuns são: Papilar (o tipo mais comum e de desenvolvimento mais lento); Folicular; Medular e Anaplásico (o tipo mais raro e agressivo)


3 – Os principais fatores de risco para desenvolvimento do câncer de tireoide são: ter

sido submetido à tratamento de radiação na cabeça e pescoço na infância, história familiar de câncer da tireoide; algumas síndromes hereditárias, obesidade e dieta pobre em iodo (presente no sal de cozinha e outros alimentos).


4 – O sintoma mais comum do câncer da tireoide costuma ser um nódulo indolor no pescoço. Outros sinais que merecem atenção são: sensação de que o pescoço está cheio, rouquidão e tosse persistente e dificuldade para respirar.



5 – O diagnóstico do câncer de tireoide é realizado por meio de ultrassonografia do pescoço e se for encontrado um nódulo suspeito será necessário realizar uma biópsia que irá confirmar ou não a suspeita do câncer. O câncer de tireoide se detectado precocemente as chances de sucesso no tratamento podem chegar a 97%.

Commentaires


bottom of page