top of page

HPV, um vírus sexualmente transmissível e uma das causas do câncer de cabeça e pescoço

Não é somente o câncer de colo do útero que tem o HPV (Papilomavírus Humano) como fator de risco para o seu desenvolvimento, o  câncer de cabeça e pescoço, particularmente de orofaringe, que inclui a base da língua, as amídalas e a parte lateral e posterior da garganta, também.




Mas por que existe essa relação?


O HPV – Papilomavírus Humano é um grupo de vírus transmitido na maioria dos casos por meio do contato sexual e, no contexto do câncer de orofaringe, pela prática do sexo oral. A relação desse tipo de câncer com o HPV é mais comum nos homens e, atualmente, cerca de 75% do câncer de orofaringe são resultado de infecções por HPV.


O HPV é muito comum, cerca de 80% das pessoas ativas sexualmente terão contato com vírus no decorrer da vida. A maioria delas não desenvolve sintomas e o próprio organismo vai eliminar a infecção espontaneamente. Já em outros casos a infecção persiste, podendo levar ao desenvolvimento de verrugas ou papilomas genitais e até ao câncer.


São mais de 150 tipos de vírus HPV e 12 deles são de alto risco para o desenvolvimento dos cânceres de garganta, boca, colo do útero, vagina, vulva, pênis e ânus


A prevenção do HPV


Prevenir o HPV é possível. Existe uma vacina contra o HPV que está disponível, gratuitamente, no Sistema Único de Saúde e em clínica particulares também. Essa vacina deve ser administrada ainda na infância, antes do início da vida sexual, para ser mais eficaz.


A vacina contra o HPV previne a maioria dos cânceres de colo do útero, o câncer de ânus, vagina, vulva e reduz o risco da maioria dos cânceres de garganta, boca e pênis relacionados ao HPV. Também previne verrugas genitais.


Todas as meninas com idade entre 9 e 14 anos e todos os meninos entre 11 e 14 anos devem tomar a vacina, sendo duas doses, com intervalos de 06 meses entre elas. Além desse grupo, também é recomendada para homens e mulheres até 45 anos portadores do vírus HIV, transplantadas de órgãos sólidos, medula óssea ou em tratamento oncológico. Nesse caso, são recomendadas 03 doses, sendo que a segunda dose é feita após 2 meses da primeira e a terceira dose após 6 meses da primeira dose.


O uso de preservativo (camisinha) não é 100% eficaz para prevenir o HPV, pois não cobre todas as áreas do corpo que podem ter contato com o vírus, como a pele da região genital ou anal, por exemplo.

bottom of page