top of page

O câncer pode se desenvolver na boca. Conheça as causas e os sintomas





O câncer de boca, também chamado de câncer da cavidade oral, pode acometer as gengivas, língua, lábio, soalho bucal (a parte que fica embaixo da língua), palato duro (céu da boca) e a área atrás dos dentes do siso (retromolar).


Como o câncer de boca, na maioria das vezes, não traz sintoma em sua fase inicial, é descoberto por acaso quando a doença já está avançada. Por isso, é importante estar atento aos possíveis sintomas e procurar avaliação médica para descartar qualquer suspeita.


Quais são as causas do câncer de boca e como podemos evitá-lo?


O tabagismo e o consumo de bebidas alcoólicas formam uma combinação perigosa, pois estão entre os principais fatores de risco para o desenvolvimento do câncer de boca.


Quando se usa tabaco sob qualquer forma – cigarro, charuto, cachimbo, narguilé - associado ao consumo regular de álcool, principalmente destilados, o risco cresce substancialmente. O fumante passivo também tem risco de desenvolver câncer de boca e quanto maior o consumo de tabaco, maior o risco. Pesquisas mostram que oito em cada dez pessoas com câncer de boca são tabagistas.


Segundo dados do NIH - National Institutes of Health, a associação de álcool e tabaco é responsável por cerca de 80% dos casos de câncer de boca em homens e cerca de 65% em mulheres.


Também existem outros fatores de risco para o desenvolvimento do câncer oral: exposição ao sol sem proteção; excesso de gordura corporal; infecção pelo HPV – Papilomavírus Humano, relacionado principalmente ao câncer de orofaringe (garganta), que é transmitido pelo contato sexual.


Outra informação importante é que cerca de 30% dos casos poderiam ser evitados com a adoção de algumas medidas simples de comportamento: não fumar, evitar o consumo de bebidas alcoólicas, se vacinar contra o HPV, usar preservativo nas relações sexuais e fazer a higiene bucal adequada todos os dias e consultas regulares ao dentista.


Vamos conhecer os principais sintomas?


• Leucoplasia: área esbranquiçada na cavidade oral, parecida com uma afta, que não melhora;

• Eritroplasia: mancha vermelha persistente na cavidade oral, que pode sangrar;

• Ferida na boca que não cicatriza, após 15 dias;

• Perda ou amolecimento de dentes;

• Nódulo no pescoço;

• Massa ou nódulo na língua, nas gengivas ou no rosto;

• Dificuldade para mexer a língua, mastigar ou engolir alimentos;

• Mau hálito constante;

• Perda de peso inesperada.


Ao observar alguma alteração suspeita é importante buscar avaliação de um médico otorrinolaringologista ou dentista.


Após o exame clínico, se houver suspeita do câncer, será necessária a realização de biópsia. Nesse procedimento remove-se parte da área suspeita de câncer para análise microscópica. Esse tipo de exame pode exigir o uso de anestesia local ou geral, a depender da localização do tumor.


bottom of page